Inspiração

Eu sempre fui e ainda sou, uma pessoa muito curiosa e não satisfeita com respostas prontas.

Esse meu jeito um tanto “irreverente”, (como me chamava o meu pai na minha infância), rendeu-me muitos frutos, alguns positivos e outros que me geraram grandes aprendizados.

A minha caminhada profissional sempre foi motivada por paixões e eu sempre estive fora dos grupos e das paixões mais convencionais.

Enquanto a maioria se voltava para os estudos da Psicanálise, eu devorava Carl Rogers e os seus conceitos sobre a Abordagem Centrada na Pessoa, eu amava as possibilidades advindas do teatro com o Psicodrama.

E sempre foi assim. Com a formação em Coaching eu não fugiria a regra, precisava ser algo que fosse mais completo do que tudo que eu já havia visto no mercado e com uma compreensão de homem alinhada com o que eu acreditava. Foi por isso que escolhi o Coaching Ontológico e tive o grande privilégio de estudar com um Psicólogo e Psicodramatista, Leonardo Wolk.

E não por acaso, também (re) surgiu na minha estrada, numa busca por uma maneira menos tradicional de estudos sobre o funcionamento dos grupos, o Psicodrama.  E desde então temos vivido uma relação de muito amor e cumplicidade, de muita teoria e prática.

Atuei durante os 10 primeiros anos da minha carreira na área de Recursos Humanos, desenvolvendo pessoas. Acredito que o trabalho é parte essencial da construção da nossa identidade e vejo as organizações como meio de construção para uma sociedade mais digna.

Entrego-me 100% aos meus projetos, por acreditar que o que eu faço tem um impacto positivo e estimulador na vida das pessoas e das organizações das quais eu facilito o desenvolvimento.

E essa é a minha inspiração, minha missão – o meu propósito.